Greve dos caminhoneiros causa reflexos no país


Paralisação afeta 22 estados brasileiros mais o Distrito Federal; Correios suspenderam entregas agendadas do Sedex em todo o país.

em Nacional por

Pelo 3º dia seguido, nesta quarta-feira, 23, caminhoneiros continuam protestando em rodovias federais e estaduais, além de vias importantes em 22 estados do país mais o Distrito Federal. Alguns atos ocorrem diante de refinarias, impedindo a saída de caminhões-tanque.

Como reflexo desta paralisação, entre outras coisas, os Correios suspenderam temporariamente as postagens das encomendas com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje). Em comunicado, a estatal informou ainda que a paralisação também tem gerado “forte impacto” e atrasos nas operações da empresa em todo o país.

Os caminhoneiros protestam contra a disparada do preço do diesel que faz parte da política de preços da Petrobras, em vigor desde julho. Entretanto, a Petrobras anunciou nesta quarta que o preço do diesel deve cair 1,54% nas refinarias. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o preço médio do diesel nas bombas já acumula alta de cerca de 8% no ano. O valor está acima da inflação acumulada no ano, de 0,92%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Paraná
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), havia 36 protestos nas estradas federais que passam pelo estado no começo desta manhã. O balanço foi atualizado por volta das 6h30. Não há interdições totais nas rodovias federais, conforme a PRF. Uma determinação judicial proíbe que os caminhoneiros fechem totalmente as estradas federais, sob pena de multa de R$ 100 mil por hora.

Santa Catarina
Os caminhoneiros voltaram a passar a noite às margens das rodovias e até as 7h30 pelo menos 31 pontos de atenção nas rodovias em Santa Catarina eram registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).