A escola da vida


em Claudino Berlatto por

A escola prepara os alunos para enfrentarem o mundo muito mal. Orientam os alunos para estudarem bastante, tirarem boas notas para conseguirem bons empregos. Desta forma, vocês vão ganhar muito dinheiro e garantir o sustento da família.

Nossos pais nos oferecem as melhores faculdades, dentro de suas possibilidades, sempre insistindo para estudarmos bastante a fim de garantirmos um bom emprego. É muito boa a intenção da escola e de nossos pais.

Saímos alegres e contentes da escola com o nosso diploma e boas notas. Entretanto, ao depararmos com o mundo, observamos que a realidade é bem diferente.

Estudei, tenho boas notas e um diploma

Sai da escola com um diploma na mão e fui procurar um emprego e nada encontrei. Percebi que eu não sabia o valor da moeda, como ganhar dinheiro, e não estava preparado para o trabalho. Diante das dificuldades aceitei o primeiro emprego que me ofereceram, fora do que eu havia estudado e sonhava para o meu futuro.  Entretanto, para ter sucesso em todas as atividades, temos que trabalhar muito, ter disciplina, persistência e conhecimento.

A realidade da vida

Temos um belo exemplo! Em certa maternidade nasceram dez crianças em um só dia. Deus chegou e disse para os recém nascidos: você vai ser pobre, você vai ser rico, você vai ser preto, e falou a todos o que seriam na vida. Não!

Deus disse, todos vieram ao mundo pelados e cada um vai determinar o que vai ser. Todos somos iguais perante a lei de Deus. A cada um de nós compete escolher nosso caminho.

Malhando em ferro frio

Relembrando. Nos últimos seis meses a administração de União da Vitória e de Porto União, juntamente com seus VINTE E QUATRO VEREADORES, ignoraram nossas sugestões para abrandar a vida da nossa sofrida população. Nada, ou muito pouco, foi feito para encontrar uma solução para resolver o problema das enchentes, da despoluição do Rio Iguaçu e continuamos tomando água do poluído rio.

As enxurradas continuam, as lixeiras não vieram e as ruas mal cuidadas. Ainda, parece que a corrupção chegou em nossa região. E a PR – l53, continua interditada e abandonada pelos órgãos públicos.

Como fica a Ponte do Arco? A Ponte vai cair e quem será o culpado? As soluções existem. O que está faltando é vontade política e falta competência na tomada de soluções. Aquela Rodovia interditada pertence ao Estado e está no perímetro urbano. Estamos aguardando a reabertura por três meses e para quando será? Senhores responsáveis, os usuários daquela rodovia não aguentam mais tanto desinteresse e tanta má vontade!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*