O tsunami


em Colunistas/Primeiro Plano por

Hoje quem faz greve são os educadores. Quem sabe daqui uma semana os caminhoneiros estarão em greve. Não defendo aqui sindicatos, muito menos que o país pare, mas antes de anunciar qualquer corte ou mudança em direitos do trabalhador, ele deveria cortar os benefícios dos políticos e do judiciário.
Falo isso porque ninguém mais aguenta fazer sacrifício para uma cambada de folgados, que vivem no bem bom às nossas custas.
O discurso de mudança elegeu Bolsonaro, mas é preciso que ele bata de frente com aqueles que deixaram o país assim, senão daqui a pouco vamos achar que ele já se encaixou no sistema.
Lembram do ‘Sistema’ do Capitão Nascimento no filme Tropa de Elite, pois é, aquele mesmo. A política não pode ser usada mais como desculpa, não há política quando o povo perde. Não há política quando o país perde. É preciso ser mais contundente, mais direto, mais provocativo. Se temos um Congresso ‘chupim’, se temos um judiciário que se vende e protege seus ‘direitos’, então temos que ter um executivo mais agressivo, chego a falar cruel.
As greves estão chegando e não importa se é o PSL de Bolsonaro ou seria o PT do Haddad, o que vemos é que os políticos continuam dando risada da nossa cara.

MEDO DO FUTURO
E daí vem o cantor Gilberto Gil e diz que estamos com medo do futuro e que este é um sentimento inédito. Inédita é a burrice dele. O medo do futuro vem desde o último mandato de Lula, quando vimos que o PT havia mergulhado o país em uma rede de corrupção tão grande, tão grande, que dificilmente sairíamos dela tão cedo. E então descobrimos que o futuro não existia mais quando a Dilma assumiu e reassumiu… E então veio o Temer e ninguém mais lembrava que poderia existir algo chamado futuro.

ELES VÃO PAGAR
A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado aprovou nesta terça, 14, um projeto de lei que obriga detentos a ressarcirem o Estado das despesas com a sua manutenção. A proposição altera a Lei de Execução Penal e segue agora para votação no Plenário da Casa. A votação teve apoio inclusive de senadores do PT…

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*