Greve não afeta ações de Segurança Pública


em Estado SC por

Mesmo com a greve dos caminhoneiros, os principais índices de violência em Santa Catarina têm se mantido abaixo dos registrados ano passado e de 2016. Desde o dia 23, o número de homicídios não foi alterado (366) a contar de 1º de janeiro. Se comparado a igual período de 2017, a queda é de 15%.

O quadro também se mantém inalterado com relação aos latrocínios: 16 (menos 30,4% nos últimos cinco meses). Apenas o número de roubos (a transeuntes, cargas, de veículos, em veículos, em comércio, em residências e outros) aumentou: 5.146 na quinta-feira; 5.120 na quarta-feira e 5.081 terça-feira, 23.

Além disso, o secretário de Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, acrescentou que as viaturas e as aeronaves policiais, bombeiros e ambulâncias não deverão ser afetadas por falta de combustível. Segundo ele, a Secretaria acertou com os fornecedores a garantia das reservas contratadas.

Ele também disse que mesmo com o movimento paredista em todo o país, as ações na área de segurança pública não foram afetadas. Prova disso são as operações da Polícia Civil nesta sexta-feira, em São José, inclusive com apoio de helicóptero, e as simultâneas desenvolvidas em Florianópolis, São José e Tijucas quinta-feira.

Alceu Oliveira acredita que o forte investimento em valorização de pessoal, Inteligência e inovação tecnológica e o planejamento feito com o delegado-geral da Polícia Civil, delegado Marcos Flávio Ghizzoni Júnior, e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior, são os responsáveis por estes índices.