• Sanepar-divulga-esclarecimento-sobre-condições-de-água-distribuída.jpg

Água com características estranhas é fornecida em bairros de Porto União e União da Vitória


Mesmo com características estranhas, água continua boa para beber afirma Sanepar

em Porto União e União da Vitória por

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) divulgou um esclarecimento sobre as condições da água distribuída em vários bairros de Porto União e União da Vitória. Moradores reclamaram em publicações em redes sociais sobre características de odor, cor e gosto que a água distribuída apresentava nos últimos dias. Em nota de esclarecimento a empresa assegurou que a água tratada é segura, de qualidade e está em conformidade com todos os parâmetros exigidos pela Portaria 2914/11 do Ministério da Saúde.

As publicações de moradores locais feitas no Facebook em grupos das cidades relatavam características de odor, cor e gosto semelhantes ao de barro ou algo semelhante na água que recebiam em suas casas. Em Porto União a distribuição foi afetada e relatada por moradores de bairros como São Pedro, Santa Rosa, Centro, Vice King.  Em União da Vitória os moradores dos bairros Ponte Nova, Cidade Jardim, São Bernardo, Limeira, Centro, Ouro Verde, São Braz, Rocio, São Cristóvão, São Basílio Magno e São Gabriel também relataram os problemas.

Em nota de esclarecimento divulgada a empresa responsável informou que fatores como calor, falta de chuvas e baixa no nível de alguns rios favorecem a proliferação de microalgas. “Essa situação foi identificada no Rio Iguaçu, na região de União da Vitória, e a Sanepar está tomando as medidas necessárias no tratamento da água para a eliminação dessas microalgas”, informou.

Na mesma nota também esclarece que a presença de odor, cor e gosto semelhantes ao de barro ou algo semelhante mesmo após o tratamento, não interfere na qualidade do produto. A companhia assegurou que a água tratada e distribuída para a população é segura e de qualidade, e está em conformidade com todos os parâmetros exigidos pela Portaria 2914/11 do Ministério da Saúde.

Vá para o Topo