• dengue-pu.png

Ações em combate ao mosquito transmissor do Aedes aegypti movimentam as cidades


Semana nacional de mobilização para combate ao Aedes Aegypti começa na segunda-feira, 23, trazendo diversas ações de prevenção e combate

em Porto União e União da Vitória por

Começa na segunda-feira, 23, a Semana nacional de mobilização para combate ao Aedes Aegypti, e nas cidades inúmeras ações de mobilização, prevenção e combate estão programadas para acontecer.

A Sala Nacional de Coordenação e Controle para Combate ao Aedes aegypti (SNCC) coordenará, entre os dias 23 a 27 de outubro de 2017, a mobilização nacional das áreas de Saúde, Assistência Social e Educação para conscientizar a população sobre o enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypti.

A Rede de Assistência Social também desenvolve atividades integradas com as equipes de Saúde e de Educação que envolvam a comunidade, além de mobilizar os trabalhadores, os usuários e beneficiários do Bolsa Família. O objetivo é ampliar a conscientização e os esforços no combate ao mosquito causador da dengue, zika e chikungunya.

 

Ações em Porto União

As mobilizações envolvem vários setores da prefeitura em prol do combate à dengue, e ações estão programadas para toda a semana. Na segunda-feira as equipes da Vigilância Ambiental do município realizam visitas em todos os postos de saúde, afim de orientar os funcionários e população, e na terça-feira reuniões e palestras ocorrem em setores da prefeitura. Na quarta-feira está marcado uma Conferência Municipal de Saúde, que deve abranger vários temas relacionados, e na quinta-feira as ações serão realizadas nos distritos de São Miguel da Serra e de Santa Cruz do Timbó. Na sexta-feira, uma ação em conjunto com União da Vitória deve mobilizar diversos funcionários na divisa das cidades (Avenida Manoel Ribas encontro com Rua Matos Costa) a partir das 9h com ações até as 16h.

Porto União é um dos municípios catarinenses considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti. As informações foram divulgadas no Boletim  Epidemiológico n° 20/2017, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC). A definição de infestação é realizada de acordo com os dados da manutenção dos postos de vistorias e armadilhas espalhadas pela cidade.

Conforme comenta Severina Pecharki, supervisora de campo da vigilância ambiental do município, são 56 pontos estratégicos de vistorias monitorados pelo setor, além de 101 armadilhas para identificar focos do mosquito espalhados pela cidade. As vistorias de rotina nos pontos estratégicos são feitas a cada 14 dias, e os profissionais também realizam visitas em  moradias e locais propensos aos focos, seguindo cronograma de visitação em todos os bairros.

O município foi considerado infestado devido ao balanço desenvolvido em abril desse ano, e conforme comenta Severina, um novo balanço deverá ser feito em Novembro, onde todos os bairros receberão vistorias intensificadas. “Com as atividades de orientação e conscientização da população, talvez a situação melhore”, comenta Severina. Mesmo com os trabalhos realizados, o que mais preocupa é o desrespeito da população. “A maior preocupação é com a quantia de lixo doméstico que encontramos em terrenos baldios, algumas pessoas não procuram lixeiras quando precisam descartar pequenos materiais, e os deixam nos terrenos baldios”, ressalta Severina.

No município, o último foco registrado foi no dia 12 de setembro, em uma coleta realizada em um dos pontos estratégicos espalhados pele vigilância ambiental na cidade. O boletim número 20 sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti e a situação epidemiológica da dengue, febre dechikungunya e zika vírus, com dados até a Semana Epidemiológica (SE) 39, desde 1º de janeiro a 30 de setembro.

 

Ações em União da Vitória

Em União da Vitória a Secretaria Municipal de Saúde irá desenvolver ações por meio da Vigilância Ambiental, e a mobilização segue um cronograma. Alguns bairros da cidade foram escolhidos devido à proximidade com o município vizinho, considerado infestado pelo mosquito. A mobilização começa na segunda-feira no bairro Limeira, seguindo terça-feira no bairro Rio da Areia, quarta-feira no bairro Rocio, e na quinta-feira no São Basílio Magno.

Durante as ações as equipes pedem que a população descarte os materiais que não utilizar em suas residências, que sejam propensos para o mosquito se reproduzir. Algumas atividades estão em conjunto com a Secretaria de Educação, que realiza nas escolas trabalhos de sensibilização, com ações de prevenção e eliminação dos focos de mosquito.

A Secretária de Saúde do município, Paula Krzyzanowski, solicita que a população se prepare para esses dias. “Pedimos para a população separar todos os materiais que desejam eliminar e que podem ser um foco do mosquito, para colocarem em sacos de lixo e depositarem em frente de suas casas, para que eles possam ser coletados por nós”, explica. Com inicio às 8 da manhã as secretarias contarão com o apoio do exército, das faculdades, da escola Túlio de França, e os agentes comunitários de saúde e endemias.

O Município de União da Vitória recentemente foi passado para a situação de município infestado pelo mosquito, devido ao grande número de larvas encontradas. Para o Coordenador Ambiental da Vigilância Sanitária do município, Wagner de Moura Santos, a situação é preocupante. “Por isso é de extrema importância essas ações diferenciadas, pois o combate a dengue é um dever de todos e a vigilância não pode estar presente em todos os momentos na comunidade e dentro das residências, cada um deve fazer a sua parte, pra que a gente não tenha essa proliferação do mosquito”, ressalta Santos.

 

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;

– Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

– Mantenha lixeiras tampadas;

– Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

– Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

– Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;

– Mantenha ralos fechados e desentupidos;

– Lave com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo, uma vez por semana;

– Retire a água acumulada em lajes;

– Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;

– Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

– Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue.

– Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;

– Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Vá para o Topo