A ansiedade e os medos do futuro


em Jaime Folle por

De qualquer forma, esperando algo desejado ou indesejado, o ansioso não vive o presente, ele está sempre esperando pelo futuro. O comportamento ansioso revela uma série de fissuras de personalidade. A primeira delas, mais evidente, é a necessidade de controle. A pessoa ansiosa não permite que algo inesperado ocorra em sua vida – ou assim ela deseja.

O Futuro faz com que muitas pessoas pensam na felicidade, porém a visão da felicidade é mais direcionada aos jovens ou até o início da terceira idade. A partir dos sessenta anos a grande maioria já começa a ver o futuro com o início do fim da vida.

Diariamente deparamo-nos com vários medos e ansiedades que nos perturbam e invadem a nossa mente, estes são alguns exemplos concretos: Medo de perder o emprego, da violência, da morte, de falar em público, de ficar doente, da traição, de ficar sozinho, do futuro, de não encontrar um grande amor e até medo de ter mais medo.

Segundo Fran Christy, se analisarmos a origem de todos os nossos medos perceberemos que ela é alimentada pelo mesmo sentimento: a insegurança. Desta forma, antes de combatermos os nossos medos é importante compreendermos inicialmente como são construídas as nossas inseguranças.

A insegurança é a antítese da coragem. Na infância guiamo-nos pelas emoções vividas de forma momentânea: nas brincadeiras, nas gargalhadas, nos sonhos e até nas lágrimas. Ao longo do nosso desenvolvimento aprendemos a filtrar as nossas emoções e assim passamos a ser mais racionais e menos emotivos. Porém um sentimento complica e muito a visão do futuro que é o excesso de ansiedade.

Em primeiro lugar, precisamos compreender que a ansiedade é uma dificuldade íntima de lidar com o tempo. Há uma expectativa exagerada com relação ao futuro, seja positiva ou negativa. Quando o ansioso espera que algo bom aconteça, ele deixa com que suas expectativas entusiasmadas tomem conta do seu dia-a-dia, mal podendo esperar o futuro chegar. Se, pelo contrário, o ansioso teme que algo negativo ocorra, ele se deixa tomar pelo medo e angústia, desejando que o futuro nunca chegue ou cedendo tempo mental para pensamentos temerosos e catastróficos.

Pensemos nisso durante esta semana.

Até a próxima