Anúncio Bitur - Viagens Em 2018.
Reflexões na Coluna Primeiro Plano

100 anos de muitas histórias


em Primeiro Plano por

Dia 05 de setembro de 2017.
É um orgulho poder escrever no dia em que Porto União comemora seu centenário. Fazer parte deste momento é ao mesmo tempo, um desafio, bem como exige uma reflexão sobre o que fizemos nos últimos 100 anos.
Começo prevendo o futuro. Sim quero falar do que acontecerá em Porto União nos próximos 50 anos. Pode parecer estranho, mas é fácil prever nosso futuro.
Eu digo que nos próximos cinco a dez anos Porto União começará a diversificar sua economia. A madeira continuará a ser nosso maior gerador de empregos, mas outras áreas irão gerar muito mais renda. O turismo ganhará mais apoio governamental e irá ganhar repercussão em toda a região sul. O turismo ferroviário ainda estará em crise.
Outras áreas, como a médica, poderá ganhar novos investimentos e também será um grande gerador de riqueza, transformando nossa cidade em um centro regional que atrairá a população de todo planalto norte para buscar tratamento aqui.
Além disso, nos próximos 10 anos não acontecerá nada de diferente. Com o apoio necessário de Porto União, União da Vitória ganhará um novo aeroporto.
Depois destes dez anos, iremos ver a infra-estrutura de Porto União passar por uma revolução. Uma grande avenida surgirá, a cidade ganhará uma nova área industrial, o centro já consolidado com seus edifícios continuará crescendo e demandará atenção dos políticos que administrarão a cidade. O trânsito será um problema.
Nesta mesma época duas rodovias da região serão duplicadas.
Finalmente a cidade ganhará um novo centro administrativo, que englobará a prefeitura e a Câmara de Vereadores, e deverá ser construído no bairro Santa Rosa. O parque que envolve o Morro da Cruz e o projeto do turismo ferro ganharão força. O turismo, já profissionalizado e planejado em parceria com União da Vitória, trará aumento na renda das cidades.
Daqui a quinze anos, finalmente um pólo de tecnologia vinculado a área florestal será criado em Porto União, isso em parceria com uma Universidade local. Este projeto só não sera implantado antes por causa da interferência política.
Matos Costa deixará de ser município e retornará a fazer pate de Porto União. Finalmente a ponte ligando o distrito de São Cristóvão será contruída, mas partindo do final da rua Prudente em Porto União.
Um Shopping Center será instalado na cidade.
Passados vinte anos a cidade crescerá para a região da Lança, acompanhando a BR-280, e será criado um pólo de tecnologia que irá transformar radicalmente a economia regional.
Nesta época o centro se deslocará para a região entre o bairro São Pedro e o bairro Santa Rosa. O centro antigo se desvalorizará.
Um teleférico será instalado entre uma marina no bairro Santa Rosa e o Morro da Cruz.
Com 25 anos um novo movimento irá lutar pela unificação das cidades. Desta vez com sucesso. Não consigo dizer como a cidade será chamada, mas deixo isso para o pessoal dessa época decidir.
Deixaremos de chamar aqui de ‘União’. Voltaremos a chamar nossas cidades de ‘Porto’, como os antigos a reconheciam.
Uma base aérea será transferida para o município, revolucionando a economia local.
O primeiro edifício da cidade com mais de 50 pavimentos terá sua construção iniciada.
As enchentes, nesta época se tornarão mais frequentes e a valorização imobiliária dos imóveis em Porto União será acentuada.
Perto de 30 anos um ramal ferroviário passará por aqui. O transporte ferroviário ganhou novamente importância e nossa posição geográfica transforma Porto União em um importante entroncamento rodoferroviário.
O Rio Iguaçu, depois de passar por um processo de despoluição se torna um grande atrativo turístico e consolida as cidades como um centro de esportes aquáticos.
Mais uma ponte é construída ligando o distrito de São Cristóvão ao bairro Santa Rosa.
O teleférico que existia entre o Morroda Cruz e a Marina do bairro Santa Rosa é ampliado até o morro do Cristo.
Aos 40 anos, agora a cidade de Porto União da Vitória, perderá território, com a emancipação do Distrito de São Cristóvão.
Com 45 anos, a cidade contará com rede de esgoto em 100% do município, a cidade oferecerá internet gratuita de alta velocidade, o transporte coletivo será movido a energia elétrica, a cidade agora com 170 mil habitantes, oferecerá alto padrão de qualidade e renda para seus moradores. Saúde e educação serão de primeiro mundo.
Para finalizar, na comemoração dos 150 anos de Porto União, o então prefeito da época determina a remoção do monumento do centenário que fica na Praça Hercílio Luz visando a melhoria do trânsito na parte histórica da cidade.
Bom, tudo o que escrevi foi uma brincadeira, sonhos que nossa população tem. Mas não custa escrever e incentivar que as próximas gerações usem estas idéias como um roteiro a ser seguido.
Sobre a reflexão do nosso passado, posso dizer que perdemos tempo demais lutando contra nós mesmos. Penso que precisamos muito mais do que uma página para tentar entender o que fizemos nestes 100 anos.
Resumo dizendo que não somos uma cidade de um homem só, ou de uma história apenas. Temos tantas personagens e tantas histórias que preciso de mais 100 anos para entender.

 

Última publicação de Primeiro Plano

Reflexões na Coluna Primeiro Plano

Valor

 
Vá para o Topo