Uns mais iguais que outros


em Claudino Berlatto por

Transcrição dos Editores da Revista Época: A desigualdade está na raiz da formação brasileira. Espraia-se na estrutura socioeconômica de uma sociedade que se ergueu tendo como pilar a escravidão. A desigualdade está presente no mercado de trabalho, na educação, no acesso aos serviços de saúde, na enviesada interpretação do mundo político. Está acimentada na ideia nefasta de que todos são iguais, mas uns são mais iguais que outros. O Brasil fez-se assim, uma nação desigual.

No Poder Judiciário não poderia ser diferente. Vivemos numa sociedade em que a justiça e o direito tem valores distintos, em razão da posição que cada um ocupa na pirâmide social. Na expressão que um talentoso jornalista consagrou, “regras que valem para o andar de baixo da pirâmide nem sempre valem para o andar de cima”. O arbítrio e a injustiça são obstáculos para uma sociedade mais pacífica. A cultura do “jeitinho”, ou do “sabe com quem está falando?” sintetizam a ideia básica de que a lei não vale para todos.

Não existem problemas sem solução

Vejamos, no final de uma aula o professor passou como trabalho de fim de aula dois problemas para seus alunos. Nesse momento, um aluno que estava dormindo pelo cansaço, pois trabalhava durante todo dia para estudar à noite, acordou e pediu ao colega o que o professor havia passado. Copiou os dois problemas e chegando em casa notou que a atividade era bastante difícil. Estudou durante todo o fim de semana e conseguiu resolver apenas um problema e iniciar o segundo. Em sala, na segunda-feira, apresentou seu trabalho ao professor. Este incrédulo, perguntou ao aluno como ele conseguiu resolver o problema que o professor achava impossível a solução. O aluno respondeu: Professor, me desculpe, quando o senhor passou a lição eu estava muito cansado e dormindo. Não escutei que os problemas não tinham solução.

Educação

Quando em sala de aula, apresentei um trabalho dizendo que só tínhamos um problema para resolver os problemas do mundo. Defendendo meu trabalho disse: Com educação podemos resolver todos os problemas que forem surgindo.

Vejamos como alguns exemplos: com educação respeitamos a natureza, não jogamos lixo nas ruas, nos rios, apenas em lugares próprios. Respeitamos os rios, os riachos e aas árvores. Não drenamos as várzeas, os rios de forma errada e conservamos as nascentes. Respeitamos a lei, nossos superiores – em especial nossos pais e professores, e assim por diante. Resolvido o problema da educação, todos os demais problemas serão resolvidos. Somos todos iguais perante deus.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*