Sábado é o Dia D de vacinação


Postos de saúde ficarão abertos para vacinar à população

em Nacional por

O balanço parcial da 20º Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe em Santa Catarina mostra que, até o dia 3 de maio, foram vacinadas 346.061 pessoas, o que corresponde a uma cobertura de 25,42% dos grupos prioritários para a vacinação. Além disso, foram aplicadas 80.335 doses da vacina em pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis (respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas, neurológicas e diabéticas) e outras condições clínicas especiais (imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias), o que corresponde a 16,63% dessa população.

A Campanha Nacional de Vacinação é uma ação do Sistema Único de Saúde (SUS) e envolve o Ministério da Saúde, que adquire as vacinas e as distribui para os estados, as Secretarias Estaduais de Saúde, que adquirem os insumos e distribuem as vacinas e os insumos para os municípios, e as Secretarias Municipais de Saúde, que promovem a vacinação de todo o público-alvo da campanha. Santa Catarina conta com cerca de 1.102 postos de vacinação envolvendo aproximadamente 5.000 profissionais de saúde dos 295 municípios. Até o momento, já foram distribuídas 1,055 milhão de doses para os municípios.

A campanha segue até o dia 1º de junho, sendo dia 12 de maio o Dia “D” de mobilização nacional. Segundo o Diretor da Dive/SC, Eduardo Macário, as medidas de prevenção são fundamentais.  “O objetivo da campanha é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da influenza na população-alvo para a vacinação no estado. Quanto mais cedo elas forem vacinadas, mais rápido elas estarão protegidas,”, afirma o Diretor.

Até esta segunda-feira, 7, o Paraná já vacinou mais de 1 milhão de pessoas. As maiores coberturas são de puérperas (47,1%) e idosos (46%). No entanto, ainda é baixa a vacinação entre crianças (20,6%) e gestantes (30%).  A vacina é efetiva contra os três tipos de vírus da gripe que mais circulam no país: influenza A (H3N2), influenza A (H1N1) e influenza B, sendo apenas contraindicada para pessoas que possuem histórico de reação alérgica grave ao ovo.

Porto União atende a todos em sete unidades de saúde, sendo elas no Centro, Santa Rosa, São Bernardo do Campo, Bela Vista, São Pedro e Vice-King. Os postos do interior também fazem atendimento. Estes ficam em Santa Cruz do Timbó e São Miguel da Serra. O atendimento ocorre a partir das 8h até as 17h, sem fechar para o almoço. A expectativa é que 70% da população seja vacinada neste dia.

Em Calmon a Secretaria Municipal de Saúde por meio de seus agentes esteve nos dias 7 e 8, nas comunidades Rio Bugio, Rio Bonito, São João de Cima, Pigato e Presidente Pena. No dia 11, estiveram no Posto de Saúde da Comunidade Central, no Assentamento e, no dia 14, a equipe estará vacinando nas comunidades da Lixiguana e Grupo 4, ambas no Assentamento. O Secretário de Saúde, José Travisani, pede para que as pessoas que ainda não tomaram a vacina contra a gripe, participem do Dia “D”, das 8 às 17 horas, no Posto de Saúde da sede.

Em General Carneiro todas as unidades de saúde funcionarão de 8h às 12h e das 14h às 17h para atender os grupos prioritários, sendo eles pessoas com 60 anos ou mais, crianças de 6 meses a 4 anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres em até 45 dias depois do parto), profissionais de saúde, indígenas, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores das instituições públicas e privadas. As unidades básicas de saúde na cidade de Bituruna ficarão abertas das 8h às 12h e das 13h às 17h para aplicar as doses.

General Carneiro realiza a vacinação para crianças de 6 meses a menores de 5 anos, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde e gestantes nas unidades de saúde do município. O objetivo é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da influenza, na população alvo para a vacinação. A meta é vacinar, pelo menos, 95% de cada grupo prioritário.

 

Saiba mais sobre a Influenza

Influenza, comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura 1 semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante.

Os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. Os vírus influenza A são ainda classificados em subtipos de acordo com as proteínas de superfície, hemaglutinina (HA ou H) e neuraminidase (NA ou N). Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A(H1N1) e A(H3N2) circulam atualmente em humanos. Alguns vírus influenza A de origem aviária também podem infectar humanos causando doença grave, como no caso do A (H7N9).

Algumas pessoas, como idosos, crianças novas, gestantes e pessoas com alguma comorbidade possuem um risco maior de desenvolver complicações devido à influenza. A vacinação é a intervenção mais importante na redução do impacto da influenza.

QUEM DEVE RECEBER A VACINA?

– Crianças de 6 meses à 5 anos;

– Gestantes;

– Puérperas até 45 dias após o parto;

– Trabalhadores da saúde;

– Professores;

– Idosos acima de 60 anos;

– Portadores de doenças crônicas (respiratória, cardíaca, renal, hepática, neurológica, diabetes, obesos) com indicação médica.