Páscoa: Estamos mais humanos e menos divinos


em Colunistas/Jaime Folle por

O ritmo desenfreado que pauta as nossas vidas nos tempos atuais está sendo um grande empecilho para que as pessoas se adequem aos desígnios de Deus. Estamos mais humanos e menos divinos.
Há bastante tempo, infelizmente, que a quarta-feira de Cinzas vem sendo esvaziada de todo o sentido sobrenatural, tornou-se um “dia de ressaca” após os excessos do Carnaval e que o sábado de aleluia é mais um simples dia de grandes bailões no calendário.
Para quem se diz Cristão e que um dia gostaria de entrar no reino de Deus, precisa seguir os ensinamentos de Jesus com urgência, que inúmeras vezes pedia aos seus discípulos para não burlarem as regras divinas solicitadas em detrimento a um processo humano e terreno de salvação. Com isso, ao menos no período quaresmal seria importante fazer algum jejum e abstinência com os propósitos claros e definidos, conforme as escrituras nos ensinam.
E olha que não faltam avisos e recomendações dos padres e pastores que através da Bíblia Sagrada, pedem incessantemente nossa reflexão sobre o homem velho e egoísta focado na sua humanidade, para um homem novo e focado na divindade. Ao menos na Páscoa se faz necessário limpar a alma e se reencontrar com Deus. Mas a questão não é só pedir perdão e tudo estará resolvido, o que precisamos é seguir os propósitos e os desígnios deixados por Cristo.
Para que esse trabalho de purificação seja sério, precisamos antes deixar um pouco o nosso lado humano e dar espaço novamente ao lado divino, com o comprometimento de resgatar a caminhada da salvação. Definir ao menos um propósito que poderia ser a oração diária sozinho ou em família. Orar faz bem! Mas muitos acham uma chatice, rezar!
Não esqueçamos que os prazeres da humanidade e da juventude, junto com o dinheiro que acumulamos um dia, se resumirá em uma pequena placa dizendo o dia do nascimento e o dia da morte.
Vamos fechar um pouco mais a porta do egoísmo e dos prazeres humanos nesta Páscoa e abramo-nos nesta semana santa ao amor divino, ao sacrifício, e à penitência.
Nesta Páscoa, gostaria de desejar a você muita paz e harmonia. Que você tenha um reencontro consigo mesmo e que as portas que Ele já abriu conduzam realmente a um caminho de muita luz, renovação e libertação.
”Feliz Páscoa!”.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*