Coluna Jaime Folle

Na minha época


em Jaime Folle por

No dia-a-dia das pessoas, podemos observar como elas gostam de dizer que “no passado era melhor”, ou que “na minha época vivíamos melhor”; isso significa que estão olhando para trás como se o futuro prometesse tempos ruins, de desgraça e sofrimento, e que só os tempos passados é que eram bons e virtuosos.
Normalmente sofremos porque erramos quando desfocamos da essência do futuro através de furtivas distrações para o passado, então reagimos com quem estiver à nossa frente, falando de coisas já vividas e que insistimos em retomar ao passado.
Uma pessoa envelhece em suas memórias quando começa a citar a quantidade de anos que tem e conta em demasia seu passado, isso é porque não está convivendo bem com o presente e o futuro. Ou quando começa a citar o tempo de trabalho que já completou e os anos que faltam para se aposentar.
Dão passos para frente porque a vida exige que sejam dados. Se pudessem, ficariam dando passos para trás até voltar ao útero de suas mães. Grande parte de nossas mágoas consistem em um apego demasiado as feridas do passado. O passado exerce uma força muito grande em nossa vida, por isso, devemos liberar nossas cargas emotivas que nos prendem a ele, pois sempre prestamos muita atenção em coisas que nos magoaram e que não interessam mais e damos pouca importância às coisas que realmente interessam.
Para os que pensam assim, resta uma triste situação: andar para frente, olhando para trás. A vida, com certeza, será cheia de tropeços, pois, olhando desta maneira, será difícil colocar os pés em uma boa estrada rumo ao futuro. Uma menção de mágoas do passado demonstra que o presente não existe e o futuro é temeroso.
“Um homem é grande quando grande é seu poder de concentração na essência do futuro, esquecendo suas mágoas passadas”. São lixos que mantemos em depósitos escondidos da mente e só servem como entulhos e atrapalho em nossa vida.
Não existe um caminho para a felicidade e nem vai haver a volta para o caminho percorrido. A felicidade é o próprio caminho a ser percorrido rumo ao futuro.
Afinal, para os que estão mencionando o passado como referência, fica a pergunta: Quando vão voltar os olhos para o futuro? Poucas são as pessoas que têm um projeto de vida para o futuro.
Quem tem um planejamento claro do que quer da vida daqui a dez ou vinte anos?
Par de pensar e voltar ao passado. Procure olhar para frente e construir o seu futuro com o que vem não com o que já foi.
Até a próxima!

  • Claudio José Gugelmin

    Ótimo texto… Conheço muita gente que age desta forma