• jornais31.07.17.jpg

Manchetes: Reforço na segurança e reivindicações junto ao governo federal


Confira as manchetes dos principais jornais do país desta segunda-feira

em Nacional por

Confira nas manchetes dos principais jornais do país desta segunda-feira, 31: Reforço na segurança e reivindicações junto ao governo federal.

Notícias dos jornais O Globo, O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo.

O Globo

Manchete : Reforço na segurança reduz roubo de carga
Em visita relâmpago ao Rio, o presidente Michel Temer disse que a presença das Forças Armadas já provocou a queda da criminalidade, em especial do roubo de carga. Registros da Polícia Civil mostram que este tipo de crime caiu para 30 ocorrências na sexta-feira e no sábado, contra 43 nos mesmos dias da semana passada. Mas a presença dos militares não impediu um assalto a 20 passageiros em um ônibus e um arrastão a motoristas na Avenida Brasil.

Empresas terão que renegociar até R$ 150 bi
Com a crise prolongada, empresas que renegociaram suas dívidas há um ou dois anos já precisam voltar a conversar com credores. Levantamento da consultoria Alvarez & Marsal indica que as companhias terão de reestruturar de R$ 125 bilhões a R$ 150 bilhões em débitos, o que pode dificultar a retomada da economia.

Santos Dumont vai a leilão em 2018
O governo espera arrecadar R$ 2 bilhões com a concessão do Aeroporto Santos Dumont. Ele será incluído na próxima rodada de leilões, no ano que vem. Falta definir se será oferecido sozinho ou em conjunto com outros terminais.

 

O Estado de S. Paulo

Manchete : Eleição na Venezuela tem 10 mortes e abstenção elevada
A eleição para a composição da Assembleia Constituinte na Venezuela foi marcada por elevada abstenção, protestos e ao menos 10 mortes entre sábado e ontem. O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE), controlado pelo chavismo, anunciou no início da madrugada de hoje que 8.089.320 pessoas participaram da votação, 41,53% dos 19,5 milhões de eleitores. Durante todo o dia, o que se viu foram poucas pessoas aguardando para votar. A alta abstenção é interpretada como protesto dos venezuelanos contra os planos do presidente Nicolás Maduro de reescrever a Constituição. Pesquisas de opinião recentes indicam que 70% dos venezuelanos são contra a Constituinte, que a oposição considera uma manobra de Maduro para se perpetuar no poder. A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, disse que a Venezuela está dando “um passo em direção à ditadura”.

Bancadas ‘boi, bala e Bíblia’ ampliam pedidos ao governo
Os deputados ligados às chamadas bancadas “BBB” (boi, bala e Bíblia), que representam 80% dos que não declararam voto em relação à admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer, ampliaram suas reivindicações junto ao governo. Temer já atendeu pedidos dos ruralistas e poderá apoiar outras demandas, como a transformação do aborto em crime hediondo e a revogação do Estatuto do Desarmamento.

Desde 2014, a receita da Odebrecht recuou 13%, para R$ 90 bilhões, e quase 100 mil foram demitidos
Ao mesmo tempo em que tenta recuperar a credibilidade, após os escândalos da Lava Jato, o grupo Odebrecht quer atrair um sócio e estuda abrir o capital da construtora, ainda a maior do País. Os desafios estão nas mãos de Luciano Guidolin, novo presidente do grupo e substituto de Marcelo Odebrecht, preso em Curitiba. “É possível atuar numa conduta ética e transparente”, disse a Renée Pereira e David Friedlander.

 

Folha de S. Paulo

Manchete : PF aponta falhas nas delações da Odebrecht
A Polícia Federal identificou falhas nas delações da Odebrecht que, em sua avaliação, dificultam e comprometem a apuração dos fatos que ex-executivos do grupo relataram à Procuradoria-Geral da República. Investigadores destacam, entre outros fatos, a mudança de versão por parte de alguns delatores e a falta de acesso da PF aos sistemas que embasaram as planilhas de repasses de dinheiro a parlamentares. Em relatórios parciais, policiais apontam outros problemas, como a ausência de documentos que comprovem as narrativas dos colaboradores e a apresentação de material que já fora apreendido na Lava Jato. Além disso, a PF considera exagerada a quantidade de delatores. Em uma só leva, 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht assinaram acordos de colaboração em dezembro de 2016. Para a PF, o número não deveria ter passado de seis nomes, entre os quais Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo, Hilberto Mascarenhas, chefe do setor de propina, e Benedicto Júnior, que comandou a Odebrecht Infraestrutura. Segundo a Folha apurou, a PF se manifestará contra a concessão de benefícios a delatores por falta de eficácia dos relatos. 

Temer indica que tropas ficarão no RJ até fim de 2018
No Rio, Michel Temer indicou que pretende renovar atê o fim de 2018 a autorização para as Forças Armadas atuarem na segurança pública do Estado. O documento que permite a presença dos militares vale só para 2017, mas, segundo o presidente, isso se deve apenas a questões orçamentárias.

Juro menor força queda de taxa de gestão de fundos
A queda dos juros no país vai provocar a redução das taxas de administração dos fundos de renda fixa. A Selic de um dígito tem impacto no ganho desses produtos e pode levar investidores a buscar aplicações com retorno maior.

 

Vá para o Topo