• jornais03.08.17.jpg

Manchetes: Câmara barra denúncia por corrupção contra Temer


Confira as manchetes dos principais jornais do país desta quinta-feira

em Nacional por

Confira nas manchetes dos principais jornais do país desta quinta-feira, 03: Câmara barra denúncia por corrupção contra Temer.

Notícias dos jornais O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo.

O Estado de S. Paulo

Manchete: Câmara barra denúncia por corrupção contra Temer
O plenário da Câmara rejeitou autorização para que o Supremo Tribunal Federal julgue a denúncia por corrupção passiva contra Michel Temer, o primeiro presidente da República a sofrer acusação formal por crime comum no exercício do cargo. O parecer do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDBMG), que recomendava o arquivamento da acusação feita pela Procuradoria-Geral da República, recebeu 263 votos favoráveis e 227 contrários. Com a decisão, a denúncia contra Temer pela acusação de ser o destinatário de uma mala com R$ 500 mil repassados pela J&F para o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) só poderá ser eventualmente analisada após o presidente deixar o cargo. O peemedebista, porém, poderá ser alvo de novas acusações. Para barrar a denúncia na Câmara, Temer precisava do apoio de pelo menos 172 deputados. Já a admissibilidade da acusação dependia de 342 votos. Uma intensa articulação mobilizou o Planalto nos últimos 34 dias e não parou ontem. Houve negociações com deputados até durante a sessão.

Janot inclui Temer em ‘quadrilhão’
O procurador-geral, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal a inclusão de Michel Temer e dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) entre os investigados no inquérito do “quadrilhão” do PMDB. O Planalto não comentou.

A ‘política radical’ de Lula
O fascínio do PT pela experiência venezuelana torna difícil imaginar que Lula esteja disposto a mudar seu discurso populista.

 

Folha de S. Paulo

Manchete : Temer usa maquina, demonstra força e barra denúncia na Câmara
Em demonstração de força do presidente Michel Temer (PMDB), a Câmara dos Deputados barrou a investigação contra ele no Supremo Tribunal Federal por 263 votos a 227. Para assegurar a vitória na quarta (2), o governo distribuiu cargos e verbas. A F olha flagrou o ministro Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), do PSDB, negociando emendas no plenário. Temer já havia se encontrado com mais de cem deputados. A oposição levou cartazes e mala com dinheiro falso. Houve empurra-empurra. A Procuradoria-Geral da República acusa Temer de corrupção passiva — ele nega ter recebido R$ 500 mil da JBS. A denúncia ficará congelada atê o fim de seu mandato, em dezembro de 2018.

Remessa de dinheiro do Brasil para os EUA triplica
Nova onda migratória de brasileiros desiludidos com a cena política ajudou a triplicar o total de dinheiro enviado aos Estados Unidos. Segundo o BC, os recursos remetidos por pessoas físicas do Brasil para pessoas físicas nos EUA passaram de US$ 125 milhões no primeiro semestre de 2016 para US$ 408 milhões em 2017. 


Empresa acusa Venezuela de fraudar votação
A empresa que forneceu tecnologia para a votação da Constituinte venezuelana afirma que o órgão eleitoral, controlado pelo chavismo, fraudou dados sobre comparecimento em ao menos 1 milhão devotos. Segundo o governo, 8 milhões foram às urnas. O órgão diz que a acusação ê irresponsável. 

Vá para o Topo