• jornais28.07.2017.jpg

Manchetes: 70% da população brasileira avalia Governo Temer como ruim ou péssimo


Confira as manchetes dos principais jornais do país desta sexta-feira

em Nacional por

Confira nas manchetes dos principais jornais do país desta sexta-feira, 28: 70% da população brasileira avalia Governo Temer como ruim ou péssimo.

Notícias dos jornais O Globo, O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo.

 

O Globo

Manchete: Bendine é preso, mas PF terá de reduzir operações
Presidente do Banco do Brasil e da Petrobras nos governos Lula e Dilma, Aldemir Bendine foi preso pela Lava- Jato sob a acusação de receber propina de R$ 3 milhões da Odebrecht. De acordo com o Ministério Público, as negociações ocorreram até maio de 2015, ano em que ele assumiu a Petrobras e quando a Lava-Jato já estava em estágio avançado. Os investigadores disseram ter provas contra Bendine e o publicitário André Gustavo Vieira, também preso e que seria o intermediário da propina — os dois conversavam por um aplicativo que destrói as mensagens, mas salva imagens das telas. A defesa de Bendine afirma que ele tomou medidas contra a Odebrecht e contesta a necessidade da prisão. No mesmo dia da operação, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, disse que o corte de despesas da União vai afetar a Lava-Jato: “Poderá implicar em processos seletivos de ações, e não fazer todas as necessárias.”

União também avalia novas altas de impostos e mais cortes
A União teme que deixem de entrar no caixa até o fim do ano R$ 40,5 bilhões previstos no Orçamento, mas que dependem de projetos de difícil negociação no Congresso ou de leilões de privatização incertos. Por isso, começou a discutir mais opções para elevar a arrecadação. Entre elas estão aumento de 11% para 14% da contribuição previdenciária dos servidores, aumentos de impostos, ampliação do corte de gastos e revisão da meta fiscal.

Temer ainda mais impopular
A aprovação ao governo Temer continua a cair e chegou a 70% de avaliação como ruim ou péssimo, segundo pesquisa do Ibope. O percentual de ótimo e bom (5%) é o mais baixo em 30 anos.

O Estado de S. Paulo

Manchete: Governo corta mais R$ 7,5 bi do PAC e verba cai 45% no ano
O novo corte no Orçamento de 2017, anunciado ontem pelo governo, atingiu em cheio os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Com o novo contingenciamento, os valores destinados a essas despesas vão cair de R$ 36,1 bilhões previstos para R$ 19,7 bilhões. A redução total, no ano, chega a 45,4%. Em março, o PAC já havia perdido R$ 8,8 bilhões. Ontem, foram retirados mais R$ 7,5 bilhões do programa. Desse total, R$ 5,23 bilhões foram de fato cortados e R$ 2,25 bilhões serão remanejados para áreas que estão sem verbas e são consideradas essenciais. O estrangulamento no programa, vitrine das gestões anteriores, foi necessário para a equipe econômica chegar ao corte adicional de R$ 5,951 bilhões no Orçamento da União: além dos R$ 5,23 bilhões que saíram do PAC, outros R$ 640 milhões foram bloqueados de emendas parlamentares.

Redução de benefícios 
O governo estuda reduzir auxílios para servidores do Executivo. Por mês, cada funcionário tem direito a R$ 458 de auxílio-alimentação, R$ 321 (pré-escola) e R$ 204,19 (transporte), num total de R$ 3,87 bilhões por ano.

Lava Jato atinge o topo do comando da Petrobrás
Em sua 42.ª fase, a Lava Jato alcançou o topo do comando da Petrobrás. Aldemir Bendine, ex-presidente da estatal e do Banco do Brasil, foi preso sob acusação de ter recebido R$ 3 milhões de propina da Odebrecht. Segundo a Procuradoria, os pagamentos foram feitos em 2015. Bendine, homem de confiança do ex-presidente Lula, foi escolhido pela então presidente Dilma Rousseff para “blindar” a petroleira após escândalos de corrupção.

 

Folha de S. Paulo

Manchete : Bloqueio de recursos afetará obras do PAC e projetos de políticos
O contingenciamento, que soma R$ 5,9 bilhões, ê parte de plano da União para manter o déficit nas contas públicas dentro da meta para o ano, de R$ 139 bilhões. O congelamento dos recursos destinados a projetos de políticos ocorre às vésperas da apreciação pela Câmara da denúncia de corrupção contra o presidente, prevista para o dia 2 de agosto. As emendas reúnem propostas e obras nos redutos eleitorais dos parlamentares e representam histórico objeto de barganha entre congressistas e o Executivo. O PAC, concentrado no Nordeste, perderá R$ 7,5 bilhões — R$ 5,2 bilhões serão represados e outros R$ 2,3 bilhões, remanejados para outras áreas do governo, como a Polícia Rodoviária Federal. O programa, uma das principais vitrines do PT, tem agora assegurados R$ 20 bilhões em despesas neste ano — a previsão inicial era de quase R$ 37 bilhões.

Para ministro, falta de dinheiro vai afetar a PF
O ministro Torquato Jardim (Justiça) afirmou que a Polícia Federal não terá dinheiro neste ano para todas as ações e precisará escolher as mais relevantes. Segundo ele, o contingenciamento à PF foi de R$ 400 milhões. Torquato disse que a instituição decidirá para onde direcionar a verba. Uma das operações que podem ser afetadas ê a Lava Jato.

Empresário acusa Haddad e o PT de calote de R$ 2,7 mi
Rêu na Lava Jato, Giovane Favieri acusa o diretório municipal do PT e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad de terem dado calote de R$ 2,66 milhões. Ele ê sócio da F5BI Produções Ltda, a maior fornecedora da campanha de Haddad em 2016.

Vá para o Topo