A mídia de União da Vitória


em Claudino Berlatto por

Fiquei bastante satisfeito em ler uma reportagem, em um jornal local, sobre a interdição da PR-153, no bairro Dona Mercedes. Aquela rodovia representa muito para nossas cidades.

Naquela região temos muitas industrias, escolas, igrejas e moradores. Ainda, temos grandes plantações agrícolas, pecuária leiteira, reflorestamentos, postos de gasolina e temos vários municípios que transitam por aquela rodovia para chegarem às nossas cidades. Entendi que a mídia já percebeu a importância daquela região.

Pergunto: por que os responsáveis pelo DER do Estado do Paraná, a administração de União da Vitória, os 13 vereadores, os representes de bairros, comerciantes que são prejudicados financeiramente, e muitos outros não fazem nada?

A união faz a força

A mídia levanta os problemas e colabora para encontrar as melhores soluções. Portanto, vamos aguardar a boa vontade dos responsáveis para cumprirem com sua parte com maior agilidade. Estamos levando sugestões para a Ponte do Arco não cair, para amenizar as enchentes, para não jogar lixo nas ruas, na conservação das lixeiras, na conservação dos parques em nossas praças e, esperar que os responsáveis façam sua parte.

As enchentes do Rio Iguaçu chegaram

No dia 18 de outubro, o rio estava com cinco metros. Nossas crianças estavam apavoradas. Vamos lembrar que Santa Bárbara existe e vamos pedir ajuda.

Peço desculpa aos leitores do Jornal O Iguassú, por estar insistindo nesse assunto. Mas, quando assumi o compromisso em escrever, falei ao nosso diretor Claudio Gugelmin, que meu assunto principal seria o de comentar sobre as enchentes.

Nós temos o único trabalho viável, econômico e que pode trazer resultados para amenizar o problema. O que está faltando é fazer um projeto para confirmar a viabilidade e os custos. Não somos donos da verdade. Temos visto muitos outros trabalhos, todos com pareceres inviáveis, de acordo com seus relatórios.

Temos que tomar alguma providência. Em menos de dois meses o rio subiu três metros e setenta e agora está nos cinco metros, que é um ponto crítico. Vamos aguardar que mais de 20 mil casas fiquem em baixo d’agua? Vamos chorar as grandes perdas”

As duas administrações de União da Vitória e Porto União sabem que existem soluções e nada fazem. Vamos todos juntos resolver esse problema, e, com certeza, nossas cidades vão voltar a crescer e viver com mais tranquilidade.

Os moradores e usuários do bairro Dona Mercedes já não aguentam mais. Perguntamos: se um ônibus, lotado de alunos, estivesse preso naquele deslizamento, esperaríamos a elaboração de um projeto, a licitação e o início das obras para retira-los?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*